Os 10 maiores fatores de risco para a nossa saúde

No dia 31 de maio comemoramos o Dia Mundial sem Tabaco. E temos muito o que comemorar! A proporção de fumantes no Brasil diminui ano após ano, e o número de ex-fumantes já é maior do que o número de fumantes. Mesmo assim, o tabagismo ainda é o 5º fator de risco que mais prejudica a saúde do brasileiro. E quais os quatro fatores de risco mais importantes do que o tabagismo?

A lista dos os 10 maiores fatores de risco para a nossa saúde, que eu divulguei cinco anos atrás, foi atualizada em dezembro de 2012. Esse novo estudo de Carga Global de Doença foi um trabalho colossal, reunindo toda a informação disponível sobre 67 fatores de risco modificáveis e 291 doenças e outros agravos (por exemplo, agressões e acidentes), em todos os países do mundo.

Não apenas a nossa situação de saúde mudou muito, mas também os pesquisadores conseguiram acesso a mais dados, e a melhores técnicas de análise.

Este artigo substitui outro, publicado na terça-feira, 2 de junho de 2015.

Nesta lista, a importância dos fatores de risco está sendo medida na forma de anos de vida ajustados para a incapacidade, que é a somatória dos anos de vida perdidos (por morte precoce) com os anos vividos com incapacidade (ponderados pelo grau de incapacidade). Essas medidas levam em consideração não só a importância do fator de risco para as pessoas afetadas, mas também o número de pessoas que são afetadas pelo fator de risco. (Como seria de se esperar, existe um artigo científico detalhando como esses dados foram trabalhados. Mas o mais interessante é visitar o site do grupo de pesquisa, e utilizar as ferramentas de visualização disponíveis.)

Então, estes são os 10 maiores fatores de risco para a saúde do Brasil:

No geral, a mensagem é otimista: metade dos principais fatores de risco (alimentação, pressão, tabagismo, trabalho e colesterol) estão afetando cada vez menos a nossa saúde. O envelhecimento da população tende a aumentar a carga de doença, então é preciso fazer um ajuste (como eu fiz) para perceber melhor como as condições de saúde das pessoas melhoraram. Afinal de contas, se a expectativa de vida está aumentando, é porque as pessoas estão vivendo cada vez mais!

Por outro lado, estão aumentando a carga de doença devida ao IMC elevado e a devida ao uso de álcool. Talvez o motivo seja justamente a dificuldade em abordar esses fatores de risco…

Aproveito para lembrar que, se você tem um ou mais desses fatores de risco, saiba que você está em boa companhia. Uma pesquisa realizada com quase 2 mil americanos de meia idade concluiu que praticamente ninguém tinha uma saúde perfeita. Mesmo assim, esta pode ser uma boa ocasião para finalmente modificar aquele comportamento pouco saudável que você já sabia que precisava corrigir!

3 ideias sobre “Os 10 maiores fatores de risco para a nossa saúde

  1. 4Bruno Nouabjjjnnjn

    Excelente publicação, Dr. Leonardo. As pessoas preocupam-se muito pouco com conduzir hábitos de vida saudáveis, principalmente aquelas que gozam de boa saúde e isso acaba sendo engraçado porque ter uma saúde excelente deveria ser o maior motivo pra continuar tendo, e eliminar hábitos negativos seriam um excelente passo pra isso.
    Minha saúde é realmente perfeita, dificilmente fico doente e quando acontece é alguma gripe que sara rápido, sozinha e sem nenhum remédio. O meu problema, certamente, é a quantidade de glicose no sangue no sangue, pois eu sou viciado em doces, como exageradamente, quantidades absurdas, todos os dias, sem nenhuma exceção. Vou me esforçar pra abandonar esse hábito enquanto ainda posso fazer isso por vontade própria.
    Parabéns pela publicação!

    Responder
  2. Pingback: Os 10 maiores fatores de risco para a saúde do Brasil | Doutor Leonardo

  3. Pingback: As 10 piores doenças no Brasil | Doutor Leonardo

Deixe uma resposta