Médicos são proibidos de distribuir cupom de desconto

Confira o trecho da Resolução CFM n° 1.939/2010:

É vedado ao médico participar, direta ou indiretamente, de qualquer espécie de promoção relacionada com o fornecimento de cupons ou cartões de descontos aos pacientes, para a aquisição de medicamentos.

O Conselho Federal de Medicina apresenta em sua resolução 16 justificativas para a mesma, dentre as quais o preceito de que, ao exercer a Medicina, os profissionais estão proibidos de tirar vantagem pela comercialização de medicamentos, ou de interagir de outra forma com farmácias, óticas e outras empresas do setor. Além disso, o CFM considera que o cadastro do paciente junto à farmácia ou laboratório farmacêutico fere sua privacidade, uma vez que através da prescrição é frequentemente possível deduzir a doença.

Ao contrário do caso da medicina ortomolecular, tenho certeza de que essa resolução será motivo de muita controvérsia. Boa parte dos médicos costuma ver os cupons de desconto como um ato de beneficência para o paciente, sem se importar em beneficiar uma farmácia ou laboratório em detrimento ao outro, e sem se incomodar com a clientela atraída pela disponibilidade dos cupons. Pessoalmente, concordo com quem diz que a melhor beneficência seria baixar o preço de tabela dos medicamentos.

E na sua opinião, os médicos devem ser proibidos de distribuir cupons de desconto? (Favor informar caso seja profissional de saúde.)

2 ideias sobre “Médicos são proibidos de distribuir cupom de desconto

  1. Vladimir Melo

    Oi Leonardo,

    Acho que essa é uma questão ética. Se o médico prescreve de acordo com o seu entendimento, não vejo problema no uso de cupom de desconto. Mas se o laboratório o convence a prescrever determinados medicamentos por qualquer outra motivação, isso é naturalmente um problema. Vejo que a relação entre médico e laboratório é de difícil controle e não sei se esse tipo de resolução é o suficiente para resolver a questão.

    Vladimir Melo – Psicólogo

    Responder
    1. Leonardo Fontenelle Autor do post

      Vladimir, não conheço pesquisas sobre a questão do cupom, mas pelo menos no contato com representantes de laboratórios farmacêuticos, os médicos costumam acreditar que preservam seu discernimento mas as pesquisas comprovam que os médicos acabam sendo influenciados. Por isso, considero razoável supor que um médico possa ser induzido a prescrever um medicamento através dos cupons mesmo sem ele perceber que está sob influência.

      Responder

Deixe uma resposta