Diane 35 não é anticoncepcional

Muita gente não sabe, mas (ao menos no Brasil) a combinação de etinilestradiol 0,035mg e acetato de ciproterona 2 mg não é registrada como anticoncepcional. Basta ler as indicações na bula do Diane 35:

Para o tratamento de distúrbios andrógeno-dependentes na mulher, tais como a acne, principalmente nas formas pronunciadas e naquelas acompanhadas de seborreia, inflamações ou formações de nódulos (acne papulopustulosa, acne nodulocística); alopecia androgênica; casos leves de hirsutismo; síndrome de ovários policísticos (SOP).

(Leia também: Como acabar com as espinhas.)

A maioria dos anticoncepcionais (também chamados de contraceptivos) são combinações de etinilestradiol (um estrógeno) e uma progestina, como o levonorgestrel, o desogestrel, o gestodeno ou a drospirenona. Essas combinações foram avaliadas em estudos clínicos com milhares de mulheres para verificar sua eficácia no planejamento familiar.

O acetato de ciproterona também é uma progestina, mas sua combinação com o etinilestradiol não foi testada como anticoncepcional. Há pouco tempo conferi se havia um novo estudo clínico nesse sentido, mas só encontrei um estudo preliminar, com poucas dezenas de mulheres. Esse estudo mostrou que a combinação de etinilestradiol e ciproterona é capaz de inibir a ovulação, da mesma forma que as combinações comprovadamente contraceptivas.

A experiência clínica das últimas décadas mostra que o Diane 35 e seus similares são anticoncepcionais eficazes, mas pela falta de estudos clínicos não dá para ter certeza. Na minha opinião, a combinação de ciproterona e etinilestradiol poderia ser usada por mulheres com a síndrome dos ovários policísticos (que diminui por si só a fertilidade) ou por mulheres nas quais uma gravidez eventual não acarretaria risco à vida ou outra consequência grave. (Leia também: Como saber se você está grávida).

Além disso, cerca de 95% das gravidezes em mulheres que usam anticoncepcionais combinados orais são causadas por falha no uso, e não por falta de eficácia da pílula. Dessa forma, mesmo se por acaso a combinação de ciproterona e etinilestradiol não for tão eficaz quanto outras combinações, faz sentido que na prática a efetividade seja muito parecida.

Mas isso é só a minha opinião. Se você está usando uma combinação de ciproterona e etinilestradiol como contraceptivo, mas precisa de uma certeza, essa pode ser uma boa hora para marcar uma consulta com seu médico.

Divulgue para seus amigos:

Leia também: