Pausa para o mestrado

Podem ficar tranquilos, não morri nem tirei férias. Estou fazendo alguns ajustes em minha dissertação de mestrado, e tenho pressa para terminá-la. Não vai dar para publicar nada hoje, mas em poucos dias volto à ativa.

Dia 14 será o Dia Mundial do Diabetes, então quem tiver interesse está convidado a (re)ler uma série de artigos que publiquei sobre o assunto em junho e julho:

Assim que puder completarei a série atual, sobre a detecção precoce do câncer de mama. Já escrevi sobre mamografia aos 40 anos e sobre mamografia anual ou bianual dos 50 ao 69 anos, e pretendo escrever sobre até quando a mulher deve continuar fazendo mamografia, e sobre as limitações do auto-exame das mamas.

Tenho uma lista aparentemente inesgotável de ideias para novos artigos, abrangendo um bocado de temas. Mas isso não significa que eu esteja fechado para sugestões — muito pelo contrário! Se você tiver uma pergunta que eu poderia responder na forma de um artigo, por favor me avise e darei prioridade à sua sugestão.

6 ideias sobre “Pausa para o mestrado

  1. jorge luiz paiva

    Dr. Leonardo gostaria de perguntar por que tem na lei onde o AGS tem que morar na micro area pois em cidades pequenas onde todo mundo se conhece não ha necessidade de micro area, fiquei fora da minha arrea por 100m da divizão, me informe a quem deve recorres para tirar duvidas.

    Responder
    1. Leonardo Fontenelle Autor do post

      Jorge, o grande diferencial do ACS é pertencer à comunidade em que ele trabalha. Se você tirar isso do ACS, seria melhor deixar o serviço para um auxiliar de enfermagem. Outro dia escrevo mais sobre o que diz a lei sobre o assunto.

      Responder
  2. Vladimir Melo

    Sua presença na blogosfera médica e no Planeta Saúde é mais que necessária. Você sabe que eu tenho um bom termômetro no meu blog: o seu post sobre ESF. Espero que depois compartilhe o trabalho final do seu mestrado; posso imaginar que seja interessante.

    Responder
  3. MEIRE SILVA

    Prezado,
    Atualmente, trabalhando como ACS, tento marcar consultas de hiperdia (doentes crônicos) de três em três meses, saúde da mulher, clínico geral e pediatria de seis em seis, puericultura e pré-natal remarcado automaticamente mensal.
    Gostaria que me indicasse qual a agenda correta para tratar da saúde de toda a família, desde a gestante, o bebê de 0 a 1 ano, as crianças de 1 a 3 anos, de 4 a 12 anos, os adolescentes, os homens, as mulheres e os doentes crônicos.
    Infelismente para cada consulta, soma-se mais uma ou duas para posterior leitura dos exames.
    Além disso, algumas pessoas solicitam atendimento quase que mensalmente, ou a cada dois meses, o que atrapalha a agenda completamente, mas ainda que haja a escassez de vagas, não podemos avaliar a real necessidade de novas consultas, devemos considerar a vontade do cliente em rever seu médico.
    Obrigada, e no aguardo.

    Responder
    1. Leonardo Fontenelle Autor do post

      Meire, agradeço a pergunta, mas não terei como resolver isso para você. Não existe uma única resposta válida para essas perguntas, de forma que a solução deverá ser discutida com a supervisão.

      A tal da escassez de vagas é um problema sério. Com 1500 a 2000 pacientes por equipe já não é fácil, imagine então com o que temos no Brasil.

      Responder

Deixe uma resposta