Overdose de diagnóstico

Ainda estou entretido com o capítulo de livro, e minha dissertação de mestrado ainda não está online, então trago a vocês uma outra leitura pertinente. A entrevista do médico norte-americano H. Gilbert Welch à Folha de São Paulo tem dado o que falar, ao menos entre os médicos de família e comunidade. É que ele expôs, num dos principais veículos de comunicação de massa do país, que o famoso check-up também pode fazer mal à saúde:

Há um conjunto de males que podem decorrer de um diagnóstico: ansiedade por ouvir que há algo errado, chateação de ter que ir de novo ao médico, fazer mais exames, lidar com convênio, efeitos colaterais de remédios, complicações cirúrgicas e até a morte.

Para quem está doente, esses problemas não são nada perto dos benefícios do tratamento. Mas é muito difícil para um médico fazer uma pessoa sadia se sentir melhor. No entanto, não é difícil fazê-la se sentir pior.

Sugiro a todos que leiam a entrevista, assim como alguns artigos que já escrevi sobre o assunto:

Vou deixar isso bem claro: alguns exames de rotina são muito importantes! Mas, como também existem riscos envolvidos, é melhor não tratar o assunto de forma leviana.

Ainda mais importante que o diagnóstico precoce é investir na própria saúde. Alguns artigos que já escrevi a esse respeito:

Um abraço a todos, e até a próxima!

2 ideias sobre “Overdose de diagnóstico

  1. Rosineide

    Gostaria de saber sobre o Plano de Carreira dos ACS, se esse plano já é válido na lei para nós ACS, porque tenho dúvidas sobre o mesmo em algumas noticias que tenho lido entendo que sim já em outras entendo que não.

    Responder

Deixe uma resposta