Cálcio e vitamina D só previnem fraturas em idosos no asilo?

A osteoporose não dói, mas aumenta silenciosamente o risco de fraturas espontâneas ou por quedas da própria altura. Por isso, cientistas do Reino Unido ligados à Colaboração Cochrane realizaram uma revisão sistemática das pesquisas que abordaram a eficácia dos suplementos de cálcio e vitamina D sobre o risco de fratura por osteoporose.

Fotografia de vidro quebrado contra o sol

Duas pesquisas, realizadas em asilos franceses, tiveram resultados realmente animadores. Os idosos que usaram o suplemento tiveram um risco 25% menor de fraturas de quadril, que são justamente as fraturas com maior impacto sobre a mobilidade e a expectativa de vida.

Já os estudos realizados na comunidade não encontraram benefício algum. Foram 6 pesquisas, envolvendo 43 mil pessoas, a maioria delas de alto risco (por exemplo, antecedente de fratura espontânea), e mesma assim não foi comprovada diferença entre as fraturas com e sem suplementos. Isso vale tanto para as fraturas de quadril quanto para as outras, como as de coluna vertebral.

O uso da vitamina D aumentou em 135% o risco da pessoa apresentar níveis excessivos de cálcio no sangue; em 4% o risco de sintomas digestivos; e em 16% o risco de cálculos renais ou insuficiência renal. (Leia também: Suplementos com cálcio parecem causar infarto.)

Existem vários cuidados a serem tomados ao analisar em conjunto uma série de pesquisas clínicas, e os próprios autores dessa revisão afirmam que suas conclusões não sejam definitivas. Em suma, o efeito dos suplementos parece restrito aos idosos em asilos, mas a questão ainda está aberta para discussão.

A dose ideal de vitamina D, por exemplo, ainda está sendo discutida. Também é possível que a forma de vitamina D (colecalciferol, calcitriol etc.) e a via de administração (comprimido, injeção) sejam relevantes.

Um estudo sueco que divulguei duas semanas atrás mostrou que 80% das mulheres já têm cálcio o suficiente em sua alimentação. Como o uso de vitamina D melhora o aproveitamento do cálcio, isso tudo diminui muito a importância da suplementação desse mineral.

Vários outros nutrientes estão envolvidos na saúde dos ossos. As vitaminas vitaminas A e K já estão sendo estudadas na forma de suplementos, mas exercício físico e outros fatores do estilo de vida também são importantes para a prevenção de osteoporose.

Em suma, os suplementos de cálcio e vitamina D podem apresentar efeitos colaterais significativos (talvez até infarto), e o benefício ainda é incerto. Se você está tomando algum desses suplementos por conta própria, é melhor discutir o assunto com seu médico na próxima consulta.

4 ideias sobre “Cálcio e vitamina D só previnem fraturas em idosos no asilo?

  1. Pingback: Suplementos com cálcio parecem causar infarto | Doutor Leonardo

  2. Pingback: Prevenção de fratura por osteoporose: bastam 800mg de cálcio por dia | Doutor Leonardo

  3. Rubinei Ferreira da Silva

    Caro colega, poderia me enviar as fontes destes trabalhos franceses sobre o uso de suplementos na prevencao das fraturas em pacientes institucionalizadas e não. Serviria muito para minha pesquisa.
    um abraco

    Responder

Deixe uma resposta