Adoçantes não parecem ser a solução para a obesidade

Refrigerantes e sucos industrializados são bebidas altamente processadas, e via de regra contêm altas doses de açúcares. Uma lata de 350mL dessas bebidas já atinge ou supera a quantidade máxima de açúcar adicionado recomendada para um adulto em um dia inteiro. Uma resposta da indústria alimentícia são as bebidas adoçadas artificialmente, que praticamente não contêm calorias, e assim deveriam ajudar a evitar a obesidade.

Pesquisadores do Brasil, Reino Unido e Estados Unidos publicaram nesta terça-feira, na revista científica PLoS Medicine, um artigo analisando a efetividade das bebidas adoçadas artificialmente no combate à obesidade. Como os próprios autores resumem,

… a evidência disponível não dá suporte direto ao papel das bebidas adoçadas artificialmente na indução do ganho de peso ou em anormalidades metabólicas, mas também não demonstra consistentemente que essas bebidas sejam efetivas na perda de peso ou na prevenção de anormalidades metabólicas. A evidência do impacto dessas bebidas na saúde das crianças é ainda mais limitada e inconclusiva do que nos adultos.

O consumo de adoçantes parece aumentar o apetite, anulando o efeito da redução de calorias da bebida adoçada. Também parecem alterar a microbiota (“flora”) intestinal, induzindo a resistência à insulina, o mecanismo responsável pelo diabetes mellitus tipo 2. De fato, estudos observacionais sugerem que o consumo de adoçantes esteja associado a um maior ganho de peso, além do desenvolvimento de diabetes mellitus tipo 2 e derrame. O problema é que, nesse tipo de estudo, é difícil ter certeza de que a relação seja de causa e efeito.

Alguns estudos de intervenção têm mostrado redução de peso com o consumo de bebidas adoçadas artificialmente. O problema é que os resultados variam de um estudo para outro, e vários mostram um efeito nulo. Além disso, os estudos de intervenção feitos até o momento têm uma série de limitações, como acompanhar os participantes por pouco tempo ou não adotar a “análise por intenção de tratar”, um padrão cuja importância é difícil explicar em uma única frase. As revisões de literatura tendem a favorecer o benefício das bebidas adoçadas artificialmente, quando são financiadas pelos fabricantes dessas bebidas, ou a favorecer a falta de efeito, quando são financiadas por fabricantes de açúcar.

Não importa se refrigerantes e sucos industrializados são adoçados com açúcar ou com adoçantes artificiais. De qualquer forma, essas bebidas são ultraprocessadas, e o Guia Alimentar para a População Brasileira recomenda que elas sejam evitadas. Enquanto pesquisadores não chegam a conclusões mais sólidas com relação aos adoçantes artificiais, o melhor a fazer é beber sucos de fruta feitos na hora (que praticamente não precisam de adição de açúcar) ou, melhor ainda, água, leite e frutas, dependendo da ocasião.

2 ideias sobre “Adoçantes não parecem ser a solução para a obesidade

  1. Barbara

    Boa tarde, estou ha 13 dias sem tomar anticocepcional e minha menstruação ainda nao deceu ,so um dia q veio um sangue e parou ,e estou tendo relação normalmente com meu marido, decidimos ter um filho, sera q consegui engravidar? Se eu fizer o teste de farmácia ja da pra ver?

    Responder

Deixe uma resposta