Arquivo mensais:maio 2011

Saudável em Qualquer Tamanho: uma abordagem controversa da obesidade

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a obesidade é um dos fatores de risco modificáveis mais prejudiciais à saúde. O problema é que, na prática, poucas pessoas conseguem emagrecer e manter essa perda de peso a longo prazo. Dessa forma, faz sentido prestarmos atenção em abordagens alternativas como a Health at Every Size (HAES; em português: Saúde em Qualquer Tamanho), que faz uma opção explícita por promover um estilo de vida saudável sem emagrecimento.

Mulher gorda bonita

O diferencial da HAES está nas seguintes propostas:

  • Aceitação do corpo — As pessoas são encorajadas a aceitar seus corpos como são, em vez de perseguirem um corpo mais magro.
  • Suporte à alimentação intuitiva — As pessoas são encorajadas a observar a relação entre o que comem e como elas se sentem a curto e médio prazo, e usar esse conhecimento para determinar o que vão comer, em vez se seguir regras “externas”.
  • Suporte à incorporação ativa — As pessoas são estimuladas a incorporar a atividade física ao seu dia-a-dia, tendo em vista o auto-cuidado e o bem-estar, em vez de desenvolver programas estruturados de exercícios físicos.

De acordo com os adeptos da HAES, a obesidade não causa adoecimento ou mortalidade, a não ser em casos extremos. Desconfio que essa ruptura com o consenso científico atual agradará muito às pessoas que desconfiam das instituições de uma forma geral, bem como às pessoas que estão cansadas de fazer dieta. Por isso mesmo, resolvi resumir os principais estudos que se propuseram a verificar a eficácia e a efetividade da abordagem HAES.

Continue lendo

Emagrecer para prevenir a hipertensão: eficácia e efetividade

Pesquisadores do Trials of Hypertension Prevention Research Group conduziram uma pesquisa de grande porte para avaliar melhor a eficácia e a efetividade do emagrecimento na prevenção da hipertensão arterial. Mais de mil pessoas com sobrepeso ou obesidade e com pressão arterial maior que 12 por 8 mas menor que 14 por 9 foram sorteadas entre receber ou não uma intervenção de alta intensidade para a perda de peso, incluindo informações nutricionais, incentivo à atividade física, técnicas de gerenciamento do próprio comportamento, e suporte social.

Feira em Munique.

A pesquisa comprovou que emagrecer é uma forma eficaz de prevenir a hipertensão arterial: as pessoas que perderam 4,5kg ou mais e mantiveram essa perda de peso até o fim da pesquisa tiveram um risco 65% menor de desenvolver hipertensão. O problema é que apenas 13% das pessoas atingiram essa meta.

Continue lendo

Vote no Doutor Leonardo

Este blog, o Doutor Leonardo, foi indicado para concorrer ao Prêmio TOP BLOG 2011, que vai eleger os melhores blogs brasileiros em diversas categorias, inclusive saúde. Por enquanto, estamos na primeira etapa, que vai eleger os 100 blogs mais populares do Brasil em cada categoria.

Captura de tela da página de votação

Você acha que o Doutor Leonardo é um dos 100 melhores blogs sobre saúde no Brasil? Então vote! É fácil, e demora menos de um minuto. Clique aqui, e quando aparecer uma tela como a ilustrada acima, clique no botão azul no canto direito. Você terá a opção de votar usando seu e-mail ou seu perfil no Twitter.

Efeito da glicosamina sobre o diabetes mellitus tipo 2

A glicosamina é um medicamento muito usado no tratamento da osteoartrose de joelhos, ainda que sua eficácia seja controversa. Repare que a osteoartrose atinge principalmente as pessoas idosas e/ou obesas, justamente aquelas com maior risco de desenvolver diabetes mellitus tipo 2. Para piorar a situação, estudos com animais e depois com humanos mostraram que a glicosamina aumenta a resistência à insulina, que é justamente o mecanismo de base do diabetes mellitus tipo 2!

Molécula de glicosamina

A revista científica Diabetes: metabolism research and reviews publicou em janeiro deste ano uma revisão de literatura envolvendo todo tipo de estudo sobre a relação entre a glicosamina e o diabetes — desde estudos in vitro (em tubos de ensaio, por assim dizer) até estudos clínicos de grande porte com humanos. Em resumo, a glicosamina interfere, sim, no metabolismo da glicose, mas apenas em doses muito superiores àquelas usadas para o tratamento da osteoartrose.

Continue lendo

Deputados criticam os lucros dos planos de saúde

A Câmara dos Deputados realizou dia 10 uma audiência pública sobre a relação entre os planos de saúde e os médicos. A audiência contou com a presença do Ministério da Justiça, da Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Proteste), da Federação Nacional de Saúde Suplementar (FenaSaúde), da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), e da Associação Médica Brasileira (AMB). A Agência Câmara de Notícias fez a cobertura do evento, e depois publicou um resumo, de onde tirei o trecho abaixo:

Segundo a FenaSaúde, no ano passado as 15 operadoras filiadas tiveram receita de R$ 73 bilhões e despesa de R$ 58 bilhões. Os planos de saúde vinculados à entidade atendem 20 milhões de pessoas (30% do mercado brasileiro). “Quem tem 5% de lucro líquido já é um ótimo negócio em qualquer país capitalista. Vocês tiveram no mínimo 20%”, disse [o presidente da Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público, Sílvio Costa (PTB-PE)].

Espírito Santo comemora o Dia Internacional da Família

Dia 15 de maio é o Dia Internacional da Família, instituído em 1993 pela ONU para fornecer uma oportunidade de promover a consciência sobre assuntos relacionados à família e aumentar o conhecimento dos processos sociais, econômicos e demográficos que afetam as famílias.

É nesse espírito que a Associação de Terapia Familiar do Espírito Santo promoverá uma palestra aberta ao público no dia 13 de maio, às 19 horas, no auditório da FDV, voltada para profissionais das áreas de saúde, educação e direito e estudantes de áreas afins. É necessário inscrever-se com antecedência. Para mais informações, clique no folheto abaixo:

Folheto com informações sobre a palestra aberta ao público

Desde já, lembro que sou médico de família e comunidade, e não terapeuta familiar.

Maconha aumenta risco de esquizofrenia

Já se sabe há vários séculos que o uso da maconha pode causar um quadro psicótico transitório. 20% a 50% das pessoas que experimentam a droga têm alucinações, paranoia e ideias de perseguição, que duram desde algumas horas até vários dias. Mas foi só em 1988 que se publicou o primeiro estudo mostrando que a maconha poderia causar um transtorno psicótico que dura para toda a vida: a esquizofrenia. Desde então o assunto já gerou muita controvérsia no meio científico, mas a maioria dos usuários de maconha continua simplesmente desconhecendo o risco.

Plantação de cânhamo industrial, pela fibra e pelo grão, na França

Em 2004 um grupo de 4 pesquisadores do Reino Unido publicou no British Journal of Psychiatry uma análise crítica da literatura científica, e concluíram que as pessoas que fumam maconha têm um risco 2,34 vezes maior de desenvolver esquizofrenia, mesmo após descontar a influência de uma série de fatores individuais e sociais.

Continue lendo

Os 300 do Doutor Leonardo

Você está na companhia de centenas de pessoas bem-informadas e que dão valor à sua saúde e à do próximo. É isso mesmo: o Doutor Leonardo acabou de superar a marca dos 300 assinantes por e-mail, sem contar com as inúmeras pessoas que acompanham as atualizações através do Planeta Saúde Brasil, do Orkut, do Facebook, do Twitter e do feed RSS.

Mas não para por aí. Esse ano o Doutor Leonardo vai concorrer ao prêmio TOP BLOG 2011, que vai reconhecer os melhores blogs brasileiros de cada área. A primeira rodada vai começar no dia 20 de maio, e vai eleger os 100 blogs mais populares de cada categoria. Depois virá a segunda rodada, com a eleição dos 3 melhores blogs de cada categoria, tanto pelo júri popular (você) quanto pelo júri acadêmico (indicada pela equipe organizadora).

Medicina à distância

Para quem não assistiu ao vídeo divulgado em abril pelo blog Medicina de Família:

Caso o vídeo não seja reproduzido acima (por exemplo, se você está recebendo isso através do e-mail ou do Planeta Saúde Brasil), visite a própria página deste artigo ou então no blog Medicina de Família.

Boa diversão!